Conselho de Medicina proíbe ex-BBB Marcos Harter de atuar como cirurgião por 6 meses

Após violar duas regras do Conselho Federal de Medicina, o cirurgião Marcos Harter,
ex-participante do Big Brother Brasil 17, foi proibido pelo presidente do Conselho
Regional de Mato Grosso, Hildenete Monteiro Fortes, de exercer a prática da
medicina. A interdição cautelar do médico aconteceu na quinta-feira (30) e impede
Marcos de atuar pelo período de seis meses até a conclusão do procedimento
administrativo que o investiga por publicidade ilegal do uso da medicina.

O ex-BBB violou a regra do Conselho Federal de Medicina ao divulgar em suas redes
sociais os preços da cirurgia para colocar próteses de silicone. De acordo com a
resolução CFM 2.170/17, os valores só podem ser revelados dentro dos
estabelecimentos médicos, por entender que a divulgação deixa o sigilo do paciente
vulnerável.[the_ad id=”485″]

Em anúncios publicados em suas redes sociais, Marcos diz que a cirurgia para a
implantação das próteses, com todos os procedimentos inclusos, custava R$ 6.950.
Segundo o portal de notícias G1, o edital de interdição cautelar diz que durante esse
período de seis meses ele “não pode exercer atendimento e nem atos operatórios em
pacientes, tendo em vista prova inequívoca de procedimento danoso realizado pelo
médico, com fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação”.
Essa não foi a única regra quebrada por Marcos. Há menos de um ano, ele também
violou publicamente as regras do Conselho quando publicou uma foto se alimentando
enquanto realizava uma operação dentro da sala cirúrgica. Além da falta de ética, a
atitude poderia causar risco de contaminação no centro cirúrgico.

[the_ad id=”485″]O Conselho Regional de Medicina do Estado do Mato Grosso, onde o médico está
inscrito, por meio de nota enviada ao Notícias da TV na época, informou que estava
atento às violações e que já existia um processo contra o cirurgião.